Medo cerca pedestres na região onde guarda foi atacada em São Cristóvão

Na Avenida Pedro II, mulheres andam em grupos ou apertam o passo para tentar se proteger da ação de criminosos

Por O Dia

Rio - Um ataque em plena luz do dia a uma guarda municipal em São Cristóvão, Zona Norte do Rio, colocou pessoas que circulam pela Avenida Pedro II em alerta. Por volta das 13h de terça-feira, S.C., de 29 anos, foi rendida por dois homens em frente à sede da Guarda Municipal, quando saía do trabalho em direção à Leopoldina. Levada para a Estrada das Paineiras, ela foi esfaqueada duas vezes nas costas após tentativa de estupro.

O crime ocorreu próximo da Avenida Francisco Bicalho, por dois homens que ocupavam um Picanto branco. A guarda foi socorrida por um colega e levada para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, onde está internada, fora de perigo e estável.

Ruas desertas e sem policiamento preocupam quem passa por aliAlexandro Auler / Agência O DIA

Pela rua onde se iniciou o crime, os assaltos preocupam ainda mais as mulheres. Algumas já tentam somente circular em grupo, outras, a passos apressados e atentas. É o caso da operadora de telemarketing Tatiane da Silva, 28, que se disse chocada com a tentativa de estupro. “Não tem PM à noite e já está comum assaltos por aqui ou no Into. O jeito é andar somente acompanhada”, relatou.

A administradora Samantha Agostini, de 31, e as colegas Rosinete Zacarias, 43, e a estagiária Jessica Paiva, 21, passaram a sair juntas na hora do almoço. Segundo Samantha, na empresa onde trabalham há recomendações para que o funcionário não ande sozinho por ali. “É muito abandonado. Só tem patrulhamento de manhã, mas assalto é a toda hora, seja de carro, moto, bicicleta”.

A Polícia Civil informou que ainda vai ouvir a vítima, mas agentes estão em busca de testemunhas e imagens de circuito de segurança para apurar o ocorrido. Já a Polícia Militar garantiu que a área tem policiamento ostensivo feito por rondas de viaturas.

Últimas de Rio De Janeiro