Estudantes ocupam mais três escolas públicas no Estado do Rio

Secretaria de Educação pede que pais tentem convencer os filhos a desocupar unidades

Por O Dia

Rio - Mais três escolas estaduais foram tomadas nesta segunda-feira por estudantes. Além dos colégios Mendes de Moraes, na Ilha do Governador, ocupado na semana retrasada, e Gomes Freire de Andrade, na Penha, tomado na segunda-feira, Heitor Lira, na Penha, Visconde de Cairu, no Méier, e Euclydes Paulo da Silva, em Maricá, estão sob controle dos alunos.

Eles querem melhores condições de infraestrutura, mudanças na grade curricular, criação de grêmios estudantis e eleição para a direção. “Estamos ocupando até que o Estado nos trate de forma digna e cumpra as obrigações que tem com a gente”, diz Gabriel Gonçalves, aluno do Visconde de Cairu.

Estudantes do tradicional Visconde de Cairu%2C no Méier%2C estenderam uma faixa de adesão ao movimentoDivulgação

Em nota, a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) reconheceu a mobilização e demonstrou apoiou ao crescente movimento que está acontecendo no estado. A entidade o classificou de ‘Primavera Secundarista’, numa menção à onda de protestos, revoltas e revoluções populares contra governos do mundo árabe em 2011. “As ocupações se tornaram estratégias primordiais para denunciar as irregularidades”, aponta.

Segundo a presidente da União Estadual dos Estudantes Secundaristas, Ana Carpes, estudantes planejam novas ocupações. “É muito provável que outras escolas sejam tomadas. Em São Gonçalo, Maricá e Petrópolis o sentimento é de mobilizar e ocupar”, diz Ana.

A Secretaria Estadual de Educação não vê no movimento intenção em desocupar as unidades e aponta que há envolvidos que sequer fazem parte da comunidade escolar. “Diante da intransigência, a Seeduc apela aos pais para que conversem com seus filhos, uma vez que são os estudantes sem aulas os mais prejudicados”, informou.

Últimas de Rio De Janeiro