Com a forte ressaca dos últimos dias, o prejuízo dos pescadores aumenta

Trabalhadores levaram cinco horas para retirar todo o lixo de uma das redes, em Copacabana

Por O Dia

Rio - Após uma semana de ressaca e tempo chuvoso, pescadores voltam ao mar. Mas em vez de peixes, recolhem resíduos como restos de sacolas plásticas, latinhas e tampas de garrafas. Foram aproximadamente cinco horas que o pescador Manuel Rebouças, de 57 anos, levou na companhia de mais quatro homens para retirar todo o lixo de uma das redes com 1.200 metros de extensão na Praia de Copacabana, na manhã desta terça-feira. Os pequenos resíduos, que eram em grande quantidade, chegaram a encher duas caçambas de lixo.

Apreensivos, os pescadores que saíram às 6h tentavam “correr com a limpeza” das redes para retornar ao mar, já que naquele dia só conseguiram pescar 11 peixes. “Não deu nem para atender os consumidores da gente. Só deu para garantir o nosso almoço”, afirmou o diretor da Colônia de Pescadores de Copacabana, Manuel Rebouças.

Para pescadores de Copacabana%2C o dia de ontem foi de recolher resíduos lançados no mar e que vêm nas redesMaíra Coelho / Agência O Dia

Em Niterói, a Colônia de Pescadores de Itaipu também enfrenta os mesmos problemas. O pescador Aurelino Matos de Souza contou que a Marinha do Brasil foi até o local para alertar que os barcos não saíssem no fim de semana devido às mudanças de maré.

“Nesse período de ressaca ficamos sem ganhar nada. Mas desde segunda já conseguimos colocar o barco no mar e pescamos um pouco de corvina, pescada e outros peixes”, conta Aurelino.

No outono, pescadores artesanais sabem que a quantidade de peixes cai devido às ressacas e às mudanças de correntes, que mexem com o fundo do mar, mas o grande vilão, para eles, é o esgoto não tratado.“Tá tão ruim a pesca que até vendi meu barco. A despesa tá sendo maior do que a receita. Hoje o pescador não consegue sobreviver mais”, lamenta Tancredo Teixeira Brás, secretário da colônia de pescadores da Ilha do Governador (Z-10).

Sol reaparece e temperatura volta a subir

Depois de muita chuva, muito frio e também muito vento gelado, o sol resolveu aparecer em certos pontos da cidade na tarde desta terça-feira. Quem pôde aproveitar o rápido calor de outono, não perdeu tempo e correu para a praia. De acordo com o Instituto Climatempo de Meteorologia, a previsão é que ao longo da semana a temperatura suba. O sol vai permanecer entre nuvens, mas sem possibilidades de chuva. A máxima é de 29 graus na sexta-feira e a mínima é de 12 graus na quinta-feira.

?Reportagem da estagiária Julianna Prado

Últimas de Rio De Janeiro