Segurança está reforçada no Cristo para a Olimpíada

Símbolo internacional da Cidade Maravilhosa, a estátua do Redentor vai ganhar núcleo especial de monitoramento para detectar possíveis ataques terroristas

Por O Dia

Rio - Com expectativa de receber 5 mil visitantes por dia durante a Olimpíada, o Cristo Redentor, no Morro do Corcovado, foi incluído na lista de possíveis locais de ataques terroristas e terá um núcleo próprio de monitoramento, pago por patrocinadores do monumento. A informação é do padre Omar Raposo, reitor do Santuário Cristo Redentor, que também será o coordenador do núcleo.

Monumento está na lista de pontos vulneráveis da cidade Bruno de Lima / Agência O Dia

“Havia uma preocupação com o monumento, que é de responsabilidade da Arquidiocese do Rio. Houve por parte das agências de segurança análises que apontaram o local como de extrema vulnerabilidade”, afirmou. De acordo com Raposo, a inclusão do monumento ocorreu há cerca de seis meses e está em um relatório de inteligência que engloba outros pontos turísticos e de competições.

Câmeras de vídeo em tempo real serão espalhadas pelos dois caminhos de acesso ao Cristo e estarão ligadas a um centro de controle que estará em funcionamento durante a Rio 2016, com início no dia 5 de agosto na cidade. O próprio padre irá monitorar o núcleo e vai buscar por ações suspeitas de visitantes.

“Iremos buscar por pessoas que deixem objetos, abandonem bolsas, além de sistemas de evacuação. Tivemos todo um treinamento para essa identificação, para repassar às autoridades qualquer ocorrência”, contou. 

Clique na imagem para ver o infográfico completoArte O Dia

O começo da implantação do sistema de segurança ocorreu no último dia 10, com a instalação de uma câmera que filma o Cristo em 360 graus, doada pela Pirelli, uma das empresas patrocinadoras. Neste mesmo dia, após sair da cerimônia de instalação, o arcebispo do Rio, cardeal Dom Orani Tempesta, ficou em meio a um tiroteio no bairro de Santa Teresa, Zona Sul.

Ainda de acordo com o padre, sistema similar já havia sido instalado na visita do Papa Francisco, em 2013. “O Cristo recebe muitas pessoas. Nossa preocupação é com as pessoas que visitam o local e, depois, com o monumento”, disse. O religioso afirmou que fez dois cursos de combate ao terrorismo — um deles na Escola Superior de Guerra, na Urca, no ano passado e o outro em fevereiro, já pelo Exército.

Um dos coordenadores do curso, o major Felipe Rodrigues, do Comando de Operações Especiais do Exército, explicou que a corporação já realiza diversos cursos para diferentes públicos. “Realizamos no Santuário de Aparecida e em diversos locais de grande movimentação de pessoas. É uma campanha de sensibilização de ameaças terroristas. Contar pequenos detalhes para deixar as pessoas ligadas e isso não foca nenhum lugar específico”, disse. Segundo o oficial, o Exército centralizou o treinamento em locais com aglomeração de pessoas. “O objetivo não é deixar ninguém em pânico, mas deixar as pessoas ligadas, alertas”, explicou.

A Abin (Agência Brasileira de Inteligência) confirmou ao DIA, em abril, que o Brasil poderia ser o próximo alvo de terroristas do Estado Islâmico. “Nunca o nível de ameaça esteve tão alto”, afirmou, na ocasião, o diretor de contraterrorismo da agência, Luiz Alberto Sallaberry. 

FORÇA NACIONAL E EXÉRCITO DEVEM ATUAR EM ACESSOS AO MONUMENTO

De acordo com o padre Omar Raposo, ainda será decidido se agentes da Força Nacional de Segurança e das Forças Armadas vão ficar nos acessos do Cristo Redentor. Por enquanto, a Polícia Militar terá a responsabilidade da segurança.

A partir de amanhã, agentes da Força Nacional começam a atuar no Rio de Janeiro, no esquema de segurança para os Jogos Olímpicos, segundo o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes. Ele esteve reunido com o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, na última sexta-feira, para acertar os últimos detalhes. Na segurança dos Kogos, no total, serão 85 mil agentes envolvidos das Forças Armadas, Força Nacional e polícias militar, civil, federal e rodoviária.

As Forças Armadas ficarão responsáveis pelo policiamento de vias expressas como a Linha Vermelha, que fica ao lado do Complexo da Maré, e Linha Amarela, ao lado da Cidade de Deus, na Zona Oeste, próximo ao Parque Olímpico.

Além disso, o Exército irá reforçar a segurança de estruturas consideradas estratégicas para o funcionamento do país, como as usinas nucleares em Angra dos Reis.

Um núcleo de inteligência com cooperação de mais de 100 países será coordenado pela Abin. Desde a Copa do Mundo de 2014 no Rio um escritório do FBI já funciona na cidade.

Últimas de Rio De Janeiro