SMS contará com conselho de profissionais da Academia Nacional de Medicina

Um especialista de cada área vai aconselhar o futuro secretário Carlos Eduardo (SD)

Por O Dia

Rio - A Secretaria Municipal de Saúde contará com um conselho de profissionais da Academia Nacional de Medicina a partir do ano que vem. Haverá um especialista em cada área para aconselhar o futuro secretário Carlos Eduardo (SD), único nome já anunciado pelo prefeito eleito Marcelo Crivella para compor o secretariado. 

Já aceitaram o convite médicos renomados como o neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho, o cirurgião Pietro Novellino, o gastroenterologista José Galvão Alves e o urologista Francisco Sampaio. Segundo fontes da coluna, Carlos Eduardo também convidará o oncologista Daniel Tabak, do Instituto Nacional do Câncer.

Doutoras
Todos os subsecretários de Saúde serão servidores de carreira. Mulheres representam boa parte da equipe escolhida por Carlos Eduardo.

Ofensiva
O PDT, que lançará Ciro Gomes à Presidência da República em 2018, pretende atrair para o partido políticos conhecidos do PT. Ao esvaziar o PT, o PDT tenta se consolidar como o partido da esquerda capaz de chegar ao segundo turno. Ciro torce para que Lula não se candidate e divida o eleitorado. Aliás, Ciro diz que Lula é o principal culpado pelo impeachment de Dilma. “Escolheu o (Michel) Temer para ser vice na chapa!”

Unidade
Ex-ministro de Dilma, Manoel Dias (PDT) afirma que “o campo popular precisa de unidade”.

Prescrição
Condenado a 14 anos de prisão, em novembro, por fraude em licitação, corrupção passiva e associação criminosa, o prefeito eleito de Itaguaí, Charlinho (PMDB), dificilmente será cassado. “Ele recebeu sete condenações de dois anos cada. E penas de dois anos prescrevem após quatro anos. O Charlinho ainda pode recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral. É um processo demorado”, afirma um procurador eleitoral. O acórdão da sentença ainda nem foi publicado.

Dez medidas
Projeto para acabar com este tipo de prescrição foi enviado pelo Ministério Público Federal ao Congresso como parte das ‘Dez medidas anticorrupção’. Não passou.

Últimas de Rio De Janeiro