Informe: Prefeitura bate recorde em distribuição de camisinhas no Carnaval

Foram 2,5 milhões de preservativos e 250 mil sachês com lubrificantes, acompanhados de informativos sobre DST's

Por O Dia

Rio - A prefeitura bateu este ano o recorde de distribuição de camisinhas e géis lubrificantes até o Carnaval: foram 2,5 milhões de preservativos e 250 mil sachês com lubrificantes, acompanhados de informativos sobre doenças sexualmente transmissíveis.

A ação foi desenvolvida pela Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual, ligada ao gabinete do prefeito Marcelo Crivella. “Nos últimos dias, intensificamos a distribuição nas zonas Norte e Oeste: fomos a Campo Grande, Santa Cruz, Bangu, Madureira e Méier”, diz Nélio Giorgini, coordenador da Ceds. A medida é fruto de parceria com a Secretaria de Saúde.

Saúde pública

A distribuição de lubrificantes chegou a ser ironizada por algumas pessoas. Mas é assunto sério. “Quando o lubrificante é usado na camisinha, reduz drasticamente a chance de rompimento do preservativo. Se não houver um trabalho de prevenção, o gasto no futuro será maior”, diz Daniela Murta, assessora técnica para Assuntos de Saúde Pública da Ceds. O próprio Ministério da Saúde recomenda o uso do gel.

Aliado, mas...

O deputado Carlos Osorio (PSDB) apoiou Crivella no segundo turno da eleição. O PSDB pertence à base do prefeito. Mas o tucano, que foi ao Sambódromo, não perdeu a chance de criticar a ausência do aliado e do ex-prefeito Eduardo Paes (PMDB). Indagado por uma eleitora sobre sua localização na Sapucaí, Osorio respondeu: “Eu estava logo antes da comissão de frente (da Portela). Foi lindo. Não estavam nem o ex nem o atual prefeito. Uma pena”.

Devolva-me!

Algumas máquinas que servem para recarregar o Bilhete Único, próximo à estação do VLT da Rodoviária, na Zona Portuária, não devolvem cartões inseridos. Revoltados, passageiros têm que comprar um novo cartão. As geringonças, que volta e meia também dão defeito na estação Jardim Oceânico do metrô, pertencem à empresa Rodoban.

Falando em metrô

Em algumas cidades da Europa, como Paris, o metrô tem o horário de funcionamento estendido, e passageiros não pagam em eventos de grande circulação, como no Réveillon. No Rio, em pleno Carnaval, a maioria das estações fecha mais cedo. E, claro, o serviço é pago.

Madureira sorriu

A coluna e o Carnaval vibram com o retorno da supercampeã Portela. A escola de Paulo Benjamin de Oliveira, Monarco e de tantos bambas quebrou o jejum de 33 anos sem títulos em grande estilo.

Últimas de Rio De Janeiro