Motociclistas pedem segurança em manifestação no Centro

Ato se concentrou na Candelária e seguiu rumo à Prefeitura, na tarde desta terça-feira

Por O Dia

Rio - Motociclistas realizaram uma manifestação, na tarde desta terça-feira, no Centro do Rio.  De acordo com Ana Cristina Benegas, uma das organizadoras do protesto, o objetivo do ato era cobrar segurança das autoridades. "Na semana passada, um amigo foi assassinado na Radial Oeste", afirma.

Manifestantes se concentram na Candelária Divulgação

Na ocasião, Carlos Eduardo Couto, 36 anos, foi morto com cinco tiros na via, quando retornava do trabalho, por volta das 18h30. "Nós usamos a motocicleta como meio de deslocamento, porque não temos um meio de transporte público eficaz, mas diante dessa insegurança corremos o risco de morrer", opina Ana Cristina.  

A manifestação teve concentração na Igreja Candelária e seguiu rumo à prefeitura, às 17h, pela pista central da Avenida Presidente Vargas. A Polícia Militar e agentes da CET-Rio acompanharam o protesto. 

Em frente à prefeitura, os motociclistas fizeram um minuto de silêncio em memória daqueles que foram vítimas da violência. "Esse foi o primeiro ato de muitos", afirma a organizadora. O protesto reuniu cerca de 70 motos, segundo a mulher. 

Ainda de acordo com Ana Cristina, a próxima manifestação deverá acontecer daqui a um mês e será em frente ao Palácio Guanabara, em Laranjeiras, Zona Sul. 

"O nosso foco é pedir segurança. Os latrocínios aumentaram e nós estamos reféns dessa insegurança", comenta a organizadora. "Não podemos ter uma moto boa, por causa do risco que corremos. O nosso lazer também está comprometido e não podemos nos reunir numa rodovia como Dutra, Washigton Luís. A gente não quer ser a próxima vítima", finaliza. 

Últimas de Rio De Janeiro