Padre Omar: o diálogo construtivo

Somente quem sabe se calar consegue escutar o outro

Por O Dia

Rio - Já perceberam que a comunicação entre as pessoas está cada vez mais comprometida? Alguns colocam a culpa na falta de tempo; outros se dedicam ao virtual; outros, ainda, nem perceberam o distanciamento provocado pela falta de diálogo.

Só o diálogo possibilita conhecer e entender as recíprocas necessidades. Ajuda as pessoas a humanizar as relações e a superar mal-entendidos. Se houvesse mais diálogo nas famílias, no ambiente de trabalho, na política, muitos problemas seriam resolvidos mais facilmente.

Já disse o Papa Francisco durante sua visita ao Rio de Janeiro: “Entre a indiferença egoísta e o protesto violento, há uma opção sempre possível: o diálogo. O diálogo entre as gerações, o diálogo no povo, a capacidade de dar e receber, permanecendo abertos à verdade. Um país cresce quando dialogam de modo construtivo as suas diversas riquezas culturais”.

Mas vale destacar que a condição do diálogo é a capacidade de escutar, que infelizmente, não é muito comum. Ouvir o outro requer paciência e atenção. Somente quem sabe se calar consegue escutar o outro.

O próprio Deus nos deixa um exemplo de escuta: cada vez que rezamos, Ele nos ouve, sem pedir nada e até mesmo nos precede e toma a iniciativa em atender os nossos pedidos. A atitude de escuta, da qual Deus é o modelo, nos motiva a derrubar os muros dos mal-entendidos, a criar pontes de comunicação, superando o isolamento.

Através do diálogo podemos contribuir para um mundo melhor, tornando-o lugar de acolhida e respeito. A fraternidade entre os homens e a colaboração para construir uma sociedade mais justa não são um sonho fantasioso, mas o resultado de um esforço harmônico de todos em favor do bem comum. Nesta semana, vamos exercitar a escuta, condição fundamental para o diálogo construtivo.

Últimas de Rio De Janeiro