Polícia ambiental descobre fábrica clandestina de balões em São Gonçalo

Um homem que estava no local foi preso. O paradeiro da confecção foi identificado com informações do Disque Denúncia

Por O Dia

Rio - Um imóvel utilizado para a fabricação e armazenamento de baolões foi descoberto por policiais da Unidade de Policiamento Ambiental (Upam) nesta quinta-feira, em São Gonçalo, Região Metropolitana. O paradeiro da confecção foi identificado graças a denúncias enviadas pela Linha Verde, do Disque Denúncia.

Um homem foi preso no local e encaminhado para a 74ª DP (Alcântara)Divulgação UPAM

Entre o material apreendido estavam, 21 balões prontos, com tamanhos de quatro e seis metros, 160 bombas de caída, 59 morteiros. Um suspeito que tomava conta da fábrica clandestina, foi apreendido e levado para o registro da ocorrência na 74ª DP (Alcântara).

De acordo com o Disque Denúncia, a campanha "Disque-balão", criada em 1999,recebe denúncias e alerta a população para os riscos de incêndios que os balões proporcionam. O órgão alerta que que os incidentes com balões são agravados pela menor umidade do ar no outono e inverno.

A prática de soltar balões é crime (artigo 42 da Lei de Crimes Ambientais nº 9.605/98). A pena para quem for pego confeccionando, comercializando ou soltando balões que possam provocar incêndios é de 1 a 3 anos de detenção ou multa, ou ainda ambas as penas cumulativamente.

Últimas de Rio De Janeiro