Padre Omar: Nosso papel no mundo

Pouco refletimos. Muitas vezes, esquecemos de desejar bom dia, pedir licença, dar um sorriso

Por O Dia

Rio - Vivemos a era das conversas virtuais, vemos o crescimento da cultura do descartável e dos excessos - de coisas, opções, informações -, participamos inconscientemente pela busca do imediato; são tempos de massificação do ser humano. Pouco refletimos. Muitas vezes, esquecemos de desejar bom dia, pedir licença, dar um sorriso.

Nesta semana a Igreja recordou um ano da canonização da Madre Teresa de Calcutá - amiga dos mais pobres. Percebam como o seu testemunho é importante hoje. Quantas vezes esquecemos de ajudar? Ou ainda, não percebemos a necessidade do próximo?

Assim são os santos para nós, pessoas que nos ajudam a refletir o nosso papel no mundo. A missão da santa permanece como testemunho da proximidade de Deus. Madre Teresa foi uma dispensadora generosa da misericórdia divina, fazendo-se disponível a todos, através do acolhimento e da defesa da vida. Nossa missão é perceber o chamado de Deus e aceitar a sua vontade.

Qual é a vontade de Deus em sua vida? Como você pode deixar a sua marca? Fazer o bem é simples. Generosidade pode ter muito significado. Desejo que Santa Teresa, São Francisco de Assis, assim como tantos santos do dia-a-dia, nos ajudem a entender que o nosso critério de ação é o amor gratuito, livre de ideologia e vínculo, e que é para todos, sem distinção de língua, cultura, raça ou religião. Santa Teresa de Calcutá dizia: "Talvez não fale a língua deles, mas posso sorrir". Vamos oferecer nosso sorriso, especialmente àqueles que mais sofrem. Abriremos horizontes de alegria em uma sociedade tão desesperançada e necessitada de compreensão e ternura.

Últimas de Rio De Janeiro