Informe: André Ceciliano cobra de Meirelles que Petrobras pague mais impostos

O deputado citou estudo do economista José Roberto Afonso, da FGV, que mostra queda nos tributos pagos ao estado

Por O Dia

Rio - Presidente interino da Assembleia Legislativa, André Ceciliano (PT) cobrou do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que a Petrobras pague mais impostos ao estado. Durante a assinatura do acordo de recuperação fiscal, no Palácio Guanabara, alfinetou: "A Petrobras não pode ser uma madrasta para o Rio, tem que ser mãe."

O deputado citou estudo do economista José Roberto Afonso, da FGV, que mostra queda nos tributos pagos ao estado. De acordo com o levantamento, houve redução de R$ 67,8 bilhões entre 2006 e 2014. "A Petrobras se utiliza hoje de 22 dispositivos, entre leis, decretos e convênios, para pagar menos", reclamou Ceciliano.

Aliás

Ceciliano é cotado para vaga no cobiçado Tribunal de Contas do Estado. Sua postura pró-governo à frente da presidência da Alerj lhe garantiu a preferência de Pezão. Outros com chances para o TCE são Paulo Melo (PMDB), André Corrêa (DEM), Geraldo Pudim (PMDB) e Edson Albertassi (PMDB).

Fragilizado

O PT avalia que conseguirá eleger apenas três deputados estaduais na eleição do ano que vem. É a metade do que o partido conseguiu em 2014. Caso Lula não consiga se candidatar à Presidência, a expectativa é ainda pior: apenas dois eleitos.

Dobradinha

O vereador Reimont (PT) será candidato a deputado federal no ano que vem. Estuda uma dobradinha com o deputado estadual Waldeck (PT), que tentará a reeleição.

Intolerância em pauta

Albertassi e Marcelo Freixo (Psol) protagonizaram ontem o momento de maior tensão na Alerj. O peemedebista rebateu acusação do psolista de que, no dia anterior, deputados evangélicos teriam deixado o plenário no momento em que foram colhidas assinaturas para moção de repúdio à depredação de terreiros, de autoria de Luiz Martins (PDT). Albertassi disse que Freixo adotou "discurso preconceituoso". Alegou que não aderiu à moção por que, fora do plenário, não foi avisado.

Intolerância em pauta 2

Já Freixo argumentou que a moção foi assinada no mesmo dia da votação sobre as contas de Pezão. E que, portanto, o plenário estava lotado.

Bandeira branca

Pré-candidato à presidência pelo PDT, Ciro Gomes e a atriz Letícia Sabatella fizeram as pazes em 2008, eles trocaram farpas no Senado em discussão sobre a transposição do Rio São Francisco. No encontro do pedetista com artistas no Rio, anteontem, os dois conversaram amigavelmente sobre... Meio Ambiente.

PSDB: fica ou não fica?

O diretório municipal do PSDB se reunirá segunda-feira para decidir se fica ou desembarca do governo Crivella. Líder da bancada tucana na Câmara, Teresa Bergher, ex-secretária municipal, quer que o partido vá para a oposição, assim como o deputado Luiz Paulo. Já o deputado Carlos Osorio é mais cauteloso. "Defendo que tenhamos postura independente, não de oposição. Mas avalio que cabe aos vereadores decidir."

Saúde Pública

O vereador Fernando William (PDT) colhe assinaturas para criar Comissão Especial para apurar a falta de pagamento a organizações sociais que atuam na Saúde. A primeira a ser convocada será a secretária de Fazenda, Maria Eduarda Gouvêa.

 

Últimas de Rio De Janeiro