Guarda municipal desaparecido é encontrado morto no Rio Guandu

Peter Ramos estaria em uma festa perto de casa quando foi levar um amigo no Morro do Orfanato, em Japeri, e não foi mais visto

Por O Dia

Rio - O corpo do guarda municipal Peter de Almeida Ramos, de 30 anos, foi encontrado no Rio Guandu, próximo à estação de tratamento, em Japeri, na Baixada Fluminense. De acordo com o Corpo de Bombeiros, as buscas pelo agente desaparecido foram realizadas entre 8h20 e 13h30 desta terça-feira. Outros três corpos, ainda não identificados, também foram encontrados no local com marcas de tiro — dois deles estavam decapitados.

Peter de Almeida Ramos foi levar um amigo que morava em uma comunidade e não foi mais vistoReprodução Internet

Segundo informações preliminares, Peter estava em uma festa perto de casa, no bairro Nova Belém, em Japeri, quando foi levar um amigo no Morro do Orfanato, no mesmo município, e não foi mais visto. 

A família do servidor teria recebido informações de que traficantes  confundiram Peter com um policial por conta de seu porte físico e o mataram. Inicialmente, o caso foi registrado na 63ªDP (Japeri) e a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) também foi acionada. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) assumiu as investigações. 

A DHBF não afasta que todos possam ter sido mortos no mesmo momento e pelos mesmos autores. "Todas as hipóteses serão checadas", disse o delegado Giniton Lages, titular da especializada. 

Recompensa que levem à captura de bandidos responsáveis pela morte de guarda é de R%24 5 milDivulgação

O Portal dos Procurados divulgou cartaz com a foto de Peter e pede informações que ajudem a identificar e localizar os envolvidos na morte do agente. A recompensa oferecida por denúncias que levem à captura dos bandidos é de R$ 5 mil. O telefone é 2253-1177 ou pelo WhatsApp dos Procurados (98849-6099). O anonimato é garantido.

Prefeitura de Japeri prevê confronto entre facções

O prefeito de Japeri, Carlos Moraes, disse à presidente da Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia da Assembleia Legislativa (Alerj), deputada Marta Rocha, que o município deve ser palco de um “confronto violento” entre quadrilhas de traficantes do município e da capital. O motivo da guerra entre traficantes seria um acerto de contas por causa do furto de 50 fuzis de uma das facções rivais.

A revelação em tom dramático foi feita durante audiência pública na Câmara Municipal, proposta pelo vereador Helder Barros, para pedir aumento do efetivo do 24º Batalhão (Queimados), que também é responsável pelo policiamento de Japeri, Itaguaí, Seropédica e Paracambi.

Já o presidente da Câmara Municipal, vereador Wesley George de Oliveira, o Miga, disse que a situação mais crítica ocorre nos bairros da Lagoa do Sapo e Morro do Orfanato, dominado pelo Comando Vermelho, e no Guandu, em Engenheiro Pedreira, que está sob o domínio da ADA. “Se não aumentar o efetivo (policial) não vai adiantar nada, porque a sensação é de insegurança”, disse Wesley.


Últimas de Rio De Janeiro