Rogério 157 pode ficar no Rio se firmar acordo de delação premiada

Afirmação foi feita pelo secretário Roberto Sá durante um encontro para discutir medidas de segurança pública para o Brasil e, especificamente, para o Rio de Janeiro

Por O Dia

Rio - O traficante Rogério 157 pode ficar no Rio de Janeiro se firmar um acordo de delação premiada. A afirmação foi feita pelo secretário de Segurança Pública do Rio, Roberto Sá, durante um encontro nesta terça-feira na Escola Sperior de Guerra, na Urca, na Zona sul do Rio, para discutir medidas de segurança para o Brasil e, especificamente, para o Rio de Janeiro. 

Secretário de Segurança%2C Roberto Sá Severino Silva/ Agência O DIA

"Se os investigadores tiverem uma linha de delação e que isso favoreça a descoberta de outros criminosos acima dele e que impacte na segurança do Rio, é óbvio que poderemos rever sua transferência", disse Sá. 

"No entanto, até agora, ninguém me apresentou nada oficial e eu não posso ficar esperando. O pedido de remoção foi feito e se surgir a possibilidade de uma delação vamos avaliar o custo beneficio para que ele possa fazer nessa delação entrega de outras estruturas do crime e com isso possamos melhorar a segurança do Rio", continuou Sá. 

Ainda de acordo com o secretário, ainda não há data para a transferência de Rogério, mas o pedido já foi feito. 

Também participaram do encontro o Ministro da Defesa, Raul Jugmann, e o comandante da Escola Superior de Guerra, General Décio Luís Schons. 

Forças Armadas até 2018

Após o encontro, Raul Jungmann disse que as Forças Armadas continuam no Rio de Janeiro até dezembro do ano que vem. "Enquanto durar essa emergência, acho que temos que permanecer aqui. Pois o Rio de Janeiro vive um momento crítico na segurança e o Rio representa a imagem do Brasil no exterior. Por isso que é importante a necessidade de se resolver o problema (da violência). Nesse momento o Rio de Janeiro precisa de apoio e por isso, enquanto durar essa crise temos que apoiar o Rio e ajudar a superar esse problema", disse o ministro.


.

Últimas de Rio De Janeiro