Nilópolis: Onda de violência atinge a cidade

Rua São Mateus, em Nova Cidade, teve 22 assaltos em menos de um mês

Por O Dia

Rio - Medo, violência e insegurança fazem parte da rotina dos moradores da Rua São Mateus, no bairro Nova Cidade, em Nilópolis. Foram 22 assaltos somente no mês de outubro. A situação tem assustado aos moradores que querem um basta na criminalidade.

Em apenas uma semana, o dono de um bar foi assaltado cinco vezes. Com medo, o comerciante pensa em fechar o estabelecimento. “Estou muito assustado, isso nunca aconteceu, muito menos em pouco tempo. Desse jeito vou fechar o bar”.

André Santos, 39, foi roubado na porta de casa. Os bandidos levaram o carro dele, documentos, celular, dinheiro e até o tênis que ele usava. “É revoltante esta situação, me sinto impotente diante de tudo. Vivemos com medo, não sabemos o que esperar ”.

Assaltos acontecem a qualquer hora do dia. Moradores estão assustadosDivulgação

A situação da violência na Baixada é alarmante. Segundo relatório ‘Um Brasil dentro do Brasil pede socorro’, elaborado pelo Fórum Grita Baixada, com dados do Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro (ISP), entre janeiro de 2005 e janeiro de 2016, o número de roubos de veículos foi de 471 para 1.048. Os roubos a pedestres passaram de 345 para 1.831.

Para os moradores houve uma migração de criminosos e a violência só aumentou depois da implantação das Unidades de Polícia Pacificadora.

“Depois das UPPs a situação aqui piorou. Assaltos não eram tão frequentes e os bandidos não andavam com armas pesadas, nem atuavam a qualquer hora do dia”, reclama um empresário que não quis se identificar.

Segundo a Polícia Militar o 20º BPM (Mesquita) tem atuado e planejado seu patrulhamento com o intuito de coibir ações criminosas em toda área sob sua responsabilidade, que inclui o município de Nilópolis.

A PM informou ainda que, segundo dados do setor de planejamento operacional da Unidade, houve apenas quatro casos de roubo registrados na Rua São Mateus, no bairro Nova Cidade, ao longo do mês de outubro. E garantiu também que o batalhão teve o efetivo reforçado recentemente, passando a contar com mais 34 policiais militares que serão empregados no patrulhamento e no combate a criminalidade.

Últimas de Rio De Janeiro