'Eles deixaram o país orgulhoso', diz Klinsmann após eliminação dos EUA

Técnico exalta esforço dos jogadores após 120 minutos de duelo com a Bélgica e diz torcer para cumprir seu contrato até o fim, que vai até a Copa do Mundo de 2018, na Rússia

Por O Dia

Bahia - Atordoados no tempo regulamentar, os Estados Unidos acordaram na prorrogação e venderam caro a derrota por 2 a 1 para a Bélgica, nesta terça-feira, na Fonte Nova, que acabou eliminando o país da Copa do Mundo. A seleção comandada por Jurgen Klinsmann não se importou em deixar espaços para os contra-ataques, pressionou o rival e teve chances para levar a decisão da vaga às quartas de final para as penalidades. O esforço dos jogadores foi exaltado pelo técnico na entrevista coletiva após a partida em Salvador.

Bélgica desencanta na prorrogação, vence os EUA e vai às quartas de final

Klinsmann elogia desempenho dos comandados americanos após eliminação para a BélgicaReuters

"É muito chato para nós perder depois dos 120 minutos, quando os jogadores deram muito. Foi um drama. Tivemos chance de empatar no fim. Gostaria de parabenizar a Bélgica por passar. É um jogo que foi ao extremo. Eles deram tudo o que podiam e deixaram o país orgulhoso com seus desempenhos. Em momentos assim você acredita que seu time aprendeu algo sobre jogar em alto nível. Eles chegaram a seus limites", disse Klinsmann.

Howard lamenta eliminação, mas exalta atuação dos EUA no revés para Bélgica

Apesar do revés, Klinsmann deu tom épico à partida e reconheceu a superioridade adversária em boa parte do duelo - a Bélgica criou 38 chances de gol e Tim Howard fez 16 defesas, novo recorde em Copas. Mesmo decepcionado por ver escapar a vaga tão próxima, ele destacou a evolução da seleção norte-americana. "Obviamente hoje foi uma experiência triste para nós. Mas agora sabemos que podemos encarar as principais seleções olho no olho", avisou o treinador.

Klinsmann poderia ter se igualado a Luiz Felipe Scolari e Guus Riddink como os únicos técnicos a atingirem as quartas de final de uma Copa por duas seleções diferentes - em 2006, ele comandava a Alemanha. O ex-atacante espera por uma nova chance no Mundial de 2018, na Rússia.

>>> LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

"Espero que sim (esteja na Copa de 2018), tenho contrato até lá", desejou o técnico. Caso fique, ele já pensa em renovar ainda mais o grupo norte-americano. O atacante Julian Green, de 19 anos, autor do gol de honra contra a Bélgica, já é um dos nomes que devem ganhar mais espaço visando o próximo Mundial.

"Quando termina uma Copa do Mundo você mira os jovens. É assim que se começa um novo ciclo. Estamos muito empolgados com jovens jogadores que estão surgindo. Temos também que preparar o ciclo olímpico. É muito importante vir ao Rio de Janeiro daqui a dois anos", finalizou Klinsmann, citando a Olimpíada de 2016.

Últimas de _legado_Copa do Mundo