Tiroteio na Flórida em ato cancelado

Supremacista branco tentou discursar e foi impedido

Por O Dia

Miami - Três homens foram detidos por iniciar um tiroteio após o supremacista branco Richard Spencer tentar realizar um discurso na Flórida, na noite de quinta-feira. Spencer, líder do movimento 'alt-right' ou 'direita alternativa' que inclui supremacistas brancos, neonazistas e seguidores da Ku Klux Klan, tentou discursar na quinta-feira em um anfiteatro da Universidade da Flórida, em Gainesville.

Diante da vaia de centenas de militantes antirracistas, Spencer foi impedido de falar; cerca de uma hora após o incidente, três de seus seguidores pararam seu carro diante de um grupo de manifestantes, fizeram saudações nazistas e um deles, Tyler Tenbrink, de 28 anos, disparou várias vezes, mas ninguém ficou ferido. Tenbrink e os irmãos William e Colton Fears, de 30 e 28 anos, foram detidos logo depois por tentativa de homicídio.

Origem da rixa

Spencer liderou a marcha de militantes de extrema direita e neonazistas em Charlottesville, Virgínia, em 11 de agosto passado, que degenerou em violentos distúrbios. No dia seguinte, em uma contramanifestação, um supremacista branco jogou um carro contra a multidão, deixando um morto e 19 feridos.

Mesmo assim, o presidente Donald Trump tentou botar panos quentes no episódio, afirmando que houve excessos dos dois lados o que levou a uma onda de críticas. Desde então, Spencer tem tido dificuldade para falar em público.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência