Márcio Guedes: O Flu precisou de pouco para vencer

Clássico disputado no Maracanã foi uma partida que prometeu muito no começo e entregou pouco

Por O Dia

Rio - O Dia das Mães merecia um joguinho melhor do que a torcida viu no Maracanã. Contrariando até a tradição do clássico, foi uma partida morna que prometeu muito no começo e entregou pouco. Durante 10 minutos houve intensidade e emoção até o gol de oportunismo de Fred, neutralizando com os braços Wallace e Felipe. A partir daí, o Flu, sem brilho, ainda manteve o controle das ações graças à qualidade de Conca que dominava o meio-campo. Mugni, entrando de saída, mal foi visto em campo.

Mas Sobis e Wagner, pouco inspirados, acabaram isolando Fred e quase não surgiram lances de gol. O Flamengo tinha o ataque engolido pela excelente marcação tricolor e Alecsandro era obrigado a recuar muito para buscar jogo sem sucesso. O segundo tempo conseguiu ser pior, porque o Fluminense estava mais preocupado em segurar a vantagem e o Flamengo tinha um domínio inútil mesmo com o estio mais veloz de Negueba.No final, só valeu mesmo o lance curioso do segundo gol tricolor que saiu por uma estranha combinação: a recuperação esperta de Walter, o bom lançamento de Conca e a velocidade de Chiquinho, mas só foi gol porque Felipe falhou.

É o mínimo

O Vasco fez a sua obrigação de vencer o jogo contra o Oeste mas ainda com um padrão de jogo fraco e um primeiro tempo muito amarrado. Na fase final, o Oeste não conseguiu manter o nível e o Vasco se impôs mais uma vez com um gol do seu talismã e outro de um estreante que começou bem, Rafael Silva, não apenas pelo gol mas pelo que mostrou de determinação e espírito ofensivo. Ainda assim,o Vasco não convence muito o torcedor — só dá para o gasto.

Surpresa

A goleada do Botafogo sábado foi uma grande surpresa porque ninguém esperava uma vitória tão folgada. Mas o técnico Mancini já conseguiu uma postura nova, de compromisso, do time e ganhou com Sheik um ponto de referência. Ele voltou a jogar bem, ao lado de Edílson e do garoto Daniel que, afinal, mostrou o seu potencial. A torcida começa a acreditar que, pelo menos, não haverá perigo de rebaixamento. Mas é melhor esperar um pouco.

Derrapadas

Coisas desagradáveis no Fla x Flu: o árbitro Wagner Magalhães é muito inseguro e saiu, no começo do jogo, distribuindo cartões amarelos a torto e a direito. Depois, foi obrigado a se segurar. Outra coisa antipática é punir um jogador — no caso,Chiquinho — porque foi festejar com a torcida subindo a rampinha.Isso, com ou sem determinação da Fifa, é um absurdo. E ainda as reclamações descabidas de Jayme de Almeida com um auxiliar.Esse não é aquele Jayme elegante de antes.

Menos, Valcke

Muitas das reclamações anteriores de Valcke foram justas, mesmo com certo vigor. Mas, a poucas semanas da Copa, ele comparar Brasil e Alemanha é demais. Qualquer turista pouco informado sabe que não encontrará aqui as facilidades de transporte nem segurança iguais à Europa.Poderiam dizer a Valcke que o Brasil não é igual à Alemanha porque por aqui ninguém mandou milhões de pessoas aos fornos crematórios nem quis impor superioridade racial mas aí já seria apelação.

Gamova derrotou nosso vôlei

Já era mais ou menos esperado — pela força do Dinamo Kazan e pela presença da gigante supercraque Gamova — que o Osasco teria poucas chances na decisão do Mundial. Tanto Sheila quanto Thaysa não ‘viram a cor da bola’. O forte vôlei da Rússia evoluiu assim como o dos principais concorrentes do Brasil. Isso serve de alerta para que o preparo do Brasil se intensifique para a Olimpíada. Será cada vez mais difícil manter a hegemonia.

Últimas de Esporte